Diário do Verde - Meio Ambiente em 1º lugar: Abril 2010

Descer

Assine!

A luta dos povos da floresta

Fé, força, e muita coragem: de tudo um pouco!
-
Declaração de Chico Mendes, sobre a Floresta Amazônica
-
Quero dizer a vocês que eu sou um seringueiro, tenho uma participação direta na selva, na Floresta Amazônica, mas se hoje não estou ligado à produção extrativista é porque não tenho condições, chegou o momento em que tive que sair fora, para dar um apoio maior para minha categoria.
O desbravamento da Amazônia começou a partir de meados do século XIX, ou seja, a partir do ano de 1877, quando começaram a chegar as primeiras levas de nordestinos na Amazônia. Agora, se perguntamos, e a Amazônia era desabitada? Não, a Amazônia tinha seus verdadeiros donos, que eram os índios. Naquela época, por volta de 1877, antes da chegada dos brancos na Amazônia, existiam na região do vale do Jurá, do Acre, mais de sessenta grupos tribais que juntos formavam várias nações e eram os legítimos donos daquela região.
Exatamente a partir de 1877, atendendo a interesses econômicos e quando a borracha ganhava relevo na ocupação da Amazônia, impulsionada pela política de interesses de grupos estrangeiros e de grupos internos, aí então começa o tráfico de nordestinos. Começa então uma vida difícil para o nordestino, quando milhares de famílias de deslocaram para a região e de repente essas pessoas tiveram que entrar em conflito com os verdadeiros donos da terra. Armados pelos patrões, estes companheiros foram obrigados a entrar em guerra com os índios [...]. As sessenta tribos daquela época ficaram reduzidas a umas dez tribos [...] principalmente após 1900 começa uma tranquilidade porque os índios já tinham desistido, já tinham sido vencidos.
Com o tempo, nós aprendemos os costumes do índio, apesar de nós termos sido seus inimigos e responsáveis pelo seu genocídio, nós terminamos por aprender os seus costumes, as suas tradições, os seus relacionamentos com a natureza [...].
Durante este século, os seringueiros passaram a viver num regime de escravidão, milhares de nordestinos que vieram naquela época para desbravar a Amazônia com o sonho de voltarem novamente a rever seus familiares, a recuperar sua vida no Nordeste, não tiveram a sorte de voltar por vários motivos: foram mortos pelos índios, foram mortos por doenças e foram mortos por jagunços, no momento em que recebia o dinheiro, o jagunço já estava esperando lá no tronco de uma árvore, matava-o e o dinheiro era devolvido para o patrão.
Em 1970, com o apoio dos incentivos fiscais da Sudam, os fazendeiros do Sul chegaram na Amazônia, no Acre. Neste momento, em 1975, na minha região são destruídas, pelo fogo e pelas motosserras, 180.000 árvores de seringueiras, 80.000 castanheiras, que é uma árvore de grande importância, e foram destruídas mais de um milhão e duzentas mil madeiras de lei, de grande importância para a região.
Resolvemos criar um movimento pacifista, aí acionamos mulheres e crianças para o movimento de paz. De 1977 até 1987, nós realizamos 45 movimentos de empate, tivemos 30 derrotas e 15 vitórias. [...] os observadores internacionais constataram que a nossa luta também, apesar de ser uma luta pela sobrevivência, em defesa da vida, tinha um caráter ecológico ambiental e, em janeiro de 1987, nós recebemos uma comitiva da ONU que foi aos seringais em Xapuri, no Acre, observar o nosso trabalho, o nosso movimento e resistência.
Nós, os seringueiros, não queremos transformar a Amazônia num santuário, o que nós não queremos é a Amazônia devastada. E aí se pergunta: qual é a proposta que vocês têm? E nós então começamos a discutir além da questão da luta contra o desmatamento.
Nós começamos a apresentar a proposta alternativa para a conservação da Amazônia. Estas propostas se baseiam hoje na criação das reservas extrativistas.
Recentemente temos mais de dez lideranças ameaçadas de morte, mas não tememos [...] enfim, o meu objetivo é trazer uma mensagem no sentido de que na medida do possível vocês procurem sensibilizar outras pessoas nesta causa que nós defendemos, porque a questão da Amazônia é uma questão que interessa a todos os segmentos da sociedade brasileira. Se continuar o desmatamento, se continuar se investindo nos incentivos e na criação de grupos agropecuários para a Amazônia, então o nosso futuro estará ameaçado.
No momento era isso que eu tinha para colocar para vocês.
-
Trechos da palestra realizada por Chico Mendes, em junho de 1988, promovida pelo Departamento de Geografia da USP e AGB-SP. Chico Mendes foi assassinado em 22 de dezembro de 1988.
-
Fonte: Livro de Geografia da 6ª Série - Coleção Geografia. De Sonia Castellar e Valter Maestro. São Paulo, 2002 - 2ª Edição. QUINTETO EDITORIAL.

Calculadora de CO2

PARE - NÃO AO AQUECIMENTO GLOBAL!
/
Responda, e verifique suas ações.
/
Este questionário nada mais é do que uma interpretação de você.
Ele irá lhe informar quais são as suas atitudes para com o aquecimento global, provocado pela emissão de gases de efeito estufa, que aumentam a temperatura média global (especialmente CO2).
É uma calculadora verde, que lhe dirá o que é necessário para que você diminua sua pegada ecológica, para com o Planeta, e quanto terá de arcar, por sua emissão individual de CO2, através da compensação pelo plantio de árvores.
Na verdade, isto não é nenhum prejuízo, e sim retribuição, através de um ato simbólico, de tudo que a natureza nos fornece dócil e gentilmente, todos os dias de nossas vidas.
-

COMO CALCULAR
-
Pegue um papel e uma caneta, de início, ou tenha as mãos um editor de texto (Microsoft Word, BrOffice, Bloco de Notas, etc) aberto. Depois, tenha ao seu alcance, de imediato, também uma calculadora.
Feito isto, vamos à ação: anote o número correspondente ao tema, e sua devida opção (Ex: 1- Transporte).
Aí, faça na calculadora o cálculo que se pede (multiplicar a sua opção previamente selecionada por 100 - exemplo).
Em seguida, marque o sinal matemático de + ou -, explicitado no término de cada tema (antes do seguinte), frente ao final do resultado de sua soma (simplificando: meu resultado deu: 2,5*1,5= 3,75 +).
Prossiga para as outras questões, e repita este processo, sucessivamente, até o término dos sete quesitos.
No final, some os resultados (ele representa o que você emitiu em média, de CO2, em um ano inteiro) e divida por 180: esta será a quantidade de árvores que deverá plantar para minimizar seus impactos na natureza (neutralização de emissões).
MÃOS À OBRA!!!

/
Quanto você contribui para o aquecimento global? TEXTO TIAGO CORDEIRO

/
Se você pensa em chaminés industriais quando alguém fala em aquecimento global, saiba que, todos os anos, cada “pessoa física” do planeta produz, em média, 7 toneladas de gás carbônico. A estimativa, feita pela ONU, não inclui fábricas e usinas, só a soma de todas as emissões que as pessoas provocam ao ligar o carro, acender o fogão ou comer carne. Somadas, elas são responsáveis por 0,9% das 7 gigatoneladas anuais de gás carbônico que a humanidade joga na atmosfera (número semelhante à emissão de fenômenos naturais, como vulcões e incêndios florestais). “O impacto pessoal na formação do efeito estufa é muito grande. Quanto mais prejudicamos o clima, fica mais urgente ainda tomarmos uma atitude”, diz Osvaldo Martins, da ong Iniciativa Verde.
Não há mais muita dúvida de que o homem é responsável pelas alterações que o clima do planeta sofreu nos últimos 50 anos. De acordo com o relatório Mudanças Climáticas 2007, as chances são de mais de 90%. “Mesmo que as emissões de gases na atmosfera fossem reduzidas em 60% para que o planeta recuperasse o equilíbrio, já experimentaremos um aumento de 0,1 °C na temperatura a cada década durante os próximos 100 anos”, diz Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). A melhor atitude a se tomar é diminuir a emissão pessoal de gás carbônico.
-
CADA HABITANTE DA TERRA LIBERA EM MÉDIA 7 TONELADAS/ANO DE GÁS CARBÔNICO.
=
PARA COMPENSAR OS EFEITOS DESSA EMISSÃO, SERIA PRECISO PLANTAR 38,9 ÁRVORES.
/
Calcule o próprio estrago
/
Abaixo, você encontra um teste bolado pela SUPER, com consultoria da ong Iniciativa Verde. Adapte os números ao seu padrão de consumo, some todas as emissões de CO2 e deduza o lixo reciclado. No final, veja como pagar os “pecados ambientais” plantando árvores: é uma para cada 180 quilos de gás carbônico. Achou muito? Se você mudar os hábitos e reduzir a emissão de CO2 (não é tão difícil), a enxada vai ter uma folga no ano que vem.
-
1. Transporte
(emissão de CO2 por quilômetro)
De todo o gás carbônico que cada pessoa emite, 40% vêm de seu automóvel. A solução para esse problema é andar menos de carro e preferir álcool como combustível.
-
1.0 (gasolina) = 0,15 kg de CO2
1.0 (álcool) = 0,003 kg de CO2
1.0 (GNV) = 0,14 kg de CO2
1.6 (gas.) = 0,18 kg de CO2
1.6 (álcool) = 0,004 kg de CO2
2.0 ou mais (gas.) = 0,23 kg de CO2
Picape = 0,33 kg de CO2

-
___________________________ x ___________________ =
Quantidade emitida Kms rodados
por seu carro em 1 ano

________________________________________________+
-
2. Viagens aéreas
Em 1 600 quilômetros, um avião joga no ar 150 quilos de CO2. Para percorrer a mesma distância, um trem só emite 3 quilos. As aeronaves já são responsáveis por 3,5 da emissão de gases que causam efeito estufa. Em 25 anos, deverão ser responsáveis por 5%.
-
Curtas (até 1h30)
_____ x 90 kg = __________+
N° de viagens (ida e volta)
-
Médias (até 2h30)
_____ x 438 kg = __________+
N° de viagens (ida e volta)
-
Longas (até 6 h)
_____ x 1 000 kg = __________+
N° de viagens (ida e volta)
-
Muito longas (mais de 6 h)
_____ x 1 090 kg = __________+
N° de viagens (ida e volta)
-
__________________________+
-
3. Carne bovina
Na produção de alimentos, a criação de gado é a maior vilã ambiental. O grande problema da carne está na digestão da vaca. Não é pouca coisa: o gado é responsável por quase 1/5 de todo o aquecimento global do planeta. Nas flatulências, o bicho emite gases, especialmente metano. Isso para não falar do desmatamento que é provocado para que ele tenha pasto. A agricultura também contribui - embora muito menos - para o efeito estufa.
-
Carnívoro ocasional
= 350 kg de CO2 por ano.
-
Carnívoro convicto
= 500 kg de CO2 por ano.

-
_____________________-
-
4. Reciclagem
O lixo de um cidadão americano médio provoca a emissão de 227 quilos de CO2 por ano. Reciclar evita que novas embalagens tenham que ser produzidas. Além disso, reduzir a produção de lixo em 10% já é o suficiente para deixar de emitir 545 quilos de gás carbônico em um ano. Se você não recicla, deixe este item em branco.
-
Reciclo de vez em quando
= diminua 23 kg de CO2 por ano.
-
Reciclo sempre que posso
= diminua 57 kg de CO2 por ano.

-
Reciclo sempre
= diminua 114 kg de CO2 por ano.

-
5. Cigarros
À primeira vista, o efeito do cigarro é pequeno. Para produzir a mesma quantidade de CO2 que um carro a gasolina emite ao rodar um quilômetro, é preciso fumar 46 cigarros. Mas multiplique essa conta pelo número de maços que uma pessoa consome na vida e você vai ver que um fumante polui bem mais do que um não-fumante.
-
1 maço de cigarro
= 0,08 kg de CO2

-
__________ x 0,08 x 365 =
Maços por dia
______________________+
-
6. Conta de gás
Além das perdas no processo de armazenagem, o botijão produz CO2 quando a chama é acesa. O fogão também libera muito metano, que é 21 vezes mais pior do que o gás carbônico quando se trata de aumentar o efeito estufa.
-
4 m³ por mês
= 200 kg de CO2 por ano

-
_______________ m³ x 50 =
Consumo mensal de gás
_______________________+
-
7. Conta de luz
Na maioria dos países desenvolvidos, a energia elétrica é gerada pela queima de carvão. No Brasil, 95% da luz vem de usinas hidrelétricas, que emitem menos gás carbônico, mas provocam grandes danos ao meio ambiente. A melhor forma de evitar esses dois problemas é economizar a luz.
-
100 kWh por mês
= 320 kg de CO2 por ano

-
__________ KWh/mês x 3,2 =
Consumo mensal de luz
________________________=
/
PLACAR AMBIENTAL
/
Total _______________ :180 = __________ árvores
Isto é o que você deve à natureza pelo CO2 liberado no último ano.

-
Fonte: Revista Superinteressante. Edição 237 - MAR /2007 - Editora Abril. Págs. 38 e 39 - SUPERESPOSTAS.

Brasil é líder do desmatamento mundial

1° do Mundo... - na classificação dos irresponsáveis.
Período avaliado: 2000 a 2005.

/
Serial Killer Verde - BRASIL! :(
/
DesmatamentoAFP (Washington) - A superfície florestal diminuiu 3,1% entre 2000 e 2005 no mundo, segundo um estudo baseado em observações por satélites publicado nesta segunda-feira nos Estados Unidos, estimando que o Brasil foi o país que sofreu a maior redução de suas matas.
No total, a perda foi de 1.011.000 km2 de 2000 a 2005, o que representa 0,6% por ano. A superfície florestal mundial era de 32.688.000 km2 no início do estudo.
Por país, o Brasil, segundo em quantidade de área florestal (4,6 milhões de km2), atrás apenas da Federação Russa (5,12 milhões de km2), sofreu a maior redução de suas matas no período, 165 mil km2 (3,6% do total).
Já o Canadá, com uma superfície florestal de 3 milhões de km2, ficou em segundo, com perdas de 160 mil km2, que representam 5,2% do total.
A perda bruta de superfície florestal é definida nesta pesquisa como produto de causas naturais, como incêndios provocados por raios, e atividades humanas.
Estimativas precisas são consideradas indispensáveis nos esforços de contabilização das emissões de dióxido de carbono (CO2), um dos principais gases de efeito estufa, e para elaborar modelos climáticos, explicaram os autores da pesquisa, divulgada pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS).
Por região, as matas boreais, que se situam no Ártico e representam 26,7% da superfície florestal do planeta - a segunda mais importante - registraram a maior redução deste período em cinco anos (4%), dois terços dos quais se deveram a incêndios de origem natural, afirmaram cientistas das Universidades de Dakota do Sul (norte) e do Estado de Nova York (nordeste).
As matas tropicais úmidas, que cobrem 11,5 milhões de km2 e representam a maior superfície florestal da Terra, perderam 2,4% de sua superfície, o que equivale a 27% da perda total.
As florestas tropicais em zona seca - 7,13 milhões de km2, ou 21,8% das superfícies de mata do mundo - diminuíram 2,9% de 2000 a 2005, o que representou 20,2% das perdas florestais totais.
Já as matas das zonas temperadas - 5,2 milhões de km2 - ou 16,1% do total mundial em 2000, perderam 3,5% de sua superfície, 18,2% do total do planeta neste período.
Por continente, a América do Norte - com uma superfície florestal de 5,8 milhões de km2 em 2000 - sofreu a maior privação no período (5,1%, 295 mil km2), ou 29,2% da perda mundial.
Ásia e América do Sul perderam duas vezes menos em comparação com sua superfície de mata, 2,8% e 2,7%, respectivamente. Estes decréscimos representaram 23,7% e 22,6% do total entre 2000 e 2005.

Brasil: aqui tem florestas demais?

Estudo da Embrapa, sobre Florestas ao redor do Mundo, põe à prova esta questão
/
É uma pergunta intrigante, e ao mesmo tempo interessante. Depende da sua interpretação. Vamos aos dados: é mais do que provado, por órgãos, entidades, pesquisas científicas individuais, que o Brasil é um país "verde". A área florestal brasileira é a 2ª mais vasta do mundo, perdendo somente para a Rússia.
Só que, em comparação de biodiversidade e riquezas, o Brasil sai, e muito, na frente da Rússia. Mas, isso, não vem ao caso. Esta questão (feita no título), tende a dois lados: ao certo e ético ao errado e petulante. Ao mesmo tempo que pode afirmar fielmente a soberania brasileira ambiental, quanto ao resto do mundo, pode ser utilizada de contrapartida para os apreciadores de destruição - se aqui tem florestas de mais, em comparação local e mundial, para que preservar com tanto rigor? Esta pergunta, poderia ser a brecha para o início de uma destruição em massa, ainda mais em nosso país, incorreto politicamente por natureza.
E como para tudo precisa o alvará dos nossos ilustres governantes, a coisa se complica: "se ficar, o bicho pega, se correr, o bicho come".
A afirmação, de que a situação aqui é confortável e o resto que se dane - que concerteza dá motivos suficientes para qualquer ambientalista ou simpatizante da causa verde ficar em pé, sai de um artigo publicado no "O Estado de São Paulo", no dia 17/01/2007, de autoria de Evaristo Eduardo de Miranda, resultado de objeto de estudo da Embrapa, que teve como participantes: Evaristo Eduardo de Miranda (o da publicação), Luís Carlos Guedes Pinto, Cristina Criscuolo e Cristina Aparecida Gonçalves Rodrigues.
Leia, a seguir, na íntegra, o que foi publicado no Caderno A2 do ESTADÃO, e recentemente republicado na Revista Digital Dazibao [resumo] (comento no final):
/
CAMPEÕES DE DESMATAMENTO1
Evaristo Eduardo de Miranda2
-
Há 8 mil anos, o Brasil possuía 9,8% das florestas mundiais. Hoje, o país detém 28,3%. Dos 64 milhões de km2 de florestas existentes antes da expansão demográfica e tecnológica dos humanos, restam menos de 15,5 milhões, cerca de 24%. Mais de 75% das florestas primárias já desapareceram. Com exceção de parte das Américas, todos continentes desmataram, e muito, segundo estudo da Embrapa Monitoramento por Satélite sobre a evolução das florestas mundiais.
A Europa, sem a Rússia, detinha mais de 7% das florestas do planeta e hoje tem apenas 0,1%. A África possuía quase 11% e agora tem 3,4%. A Ásia já deteve quase um quarto das florestas mundiais (23,6%), agora possui 5,5% e segue desmatando. No sentido inverso, a América do Sul que detinha 18,2% das florestas, agora detém 41,4% e o grande responsável por esses remanescentes, cuja representatividade cresce ano a ano, é o Brasil.
Se o desflorestamento mundial prosseguir no ritmo atual, o Brasil – por ser um dos que menos desmatou – deverá deter, em breve, quase metade das florestas primárias do planeta. O paradoxo é que, ao invés de ser reconhecido pelo seu histórico de manutenção da cobertura florestal, o país é severamente criticado pelos campeões do desmatamento e alijado da própria memória.
Na maioria dos países, a defesa da natureza é fenômeno recente. No Brasil, vem de longa data. Desde o Século XVI, as Ordenações Manuelinas e Filipinas estabeleceram regras e limites para exploração de terras, águas e vegetação. Haviam listas de árvores reais, protegidas por lei, o que deu origem à expressão madeira-de-lei. O Regimento do Pau Brasil, de 1600, estabeleceu o direito de uso sobre as árvores e não sobre as terras. As áreas consideradas reservas florestais da Coroa, não podiam ser destinadas à agricultura. Essa legislação garantiu a manutenção e a exploração sustentável das florestas de pau-brasil até 1875, quando entrou no mercado a anilina. Ao contrário do que muitos pensam e propagam, a exploração racional do pau-brasil manteve boa parte da Mata Atlântica até o final do Século XIX e não foi a causa do seu desmatamento, fato bem posterior.
Em 1760, um alvará real de Dom José I protegeu os manguezais. Em 1797, uma série de cartas régias consolidou as leis ambientais: pertencia à Coroa toda mata à borda da costa, de rio que desembocasse no mar ou que permitisse a passagem de jangadas transportadoras de madeiras. A criação dos Juizes Conservadores, aos quais coube aplicar as penas previstas na lei, foi outro marco em favor das florestas. As penas eram de multa, prisão, degredo e até pena capital para incêndios dolosos. Também surgiu o Regimento de Cortes de Madeiras com regras rigorosas para a derrubada de árvores, além de outras restrições à implantação de roçados.
Em junho de 1808, D. João VI criou a primeira unidade de conservação, o Real Horto Botânico do Rio de Janeiro, com mais de 2500 hectares, hoje republicanamente reduzido a 137 ha. Uma ordem, de 9 de abril de 1809, deu liberdade aos escravos que denunciassem contrabandistas de pau-brasil e o decreto de 3 de agosto de 1817 proibiu o corte de árvores nas áreas das nascentes do rio Carioca. Em 1830, o total de áreas desmatadas no Brasil era inferior a 30 mil km2. Hoje corta-se mais do que isso a cada dois anos. Em 1844, o Ministro Almeida Torres propôs desapropriações e plantios de árvores para salvar os mananciais do Rio de Janeiro. Em 1861, pelo decreto imperial 577 de D. Pedro II, foi criada (e plantada) a Floresta da Tijuca.
A política florestal da Coroa portuguesa e brasileira logrou, por diversos mecanismos, manter a cobertura vegetal preservada até o final do Século XIX. O desmatamento brasileiro é fenômeno do Século XX. Em São Paulo, Santa Catarina e Paraná, a marcha para o oeste trouxe grandes desmatamentos. As florestas de araucárias foram entregues pela Ré-pública aos construtores anglo-americanos de ferrovias, junto com as terras adjacentes.
Na Amazônia, a maior ocupação ocorreu na segunda metade do Século XX com migrações, construção de hidroelétricas, estradas e outras infraestruturas. Há 30 anos, o desmatamento anual varia de 15 a 20 mil km2, com picos de 29 mil e 26 mil km2 em 1995 e 2003. Nos últimos dois anos, passou a 11 mil km2, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).
Apesar de generalizações equivocadas, o desmatamento brasileiro não produziu desertos. Como na Europa, as florestas cederam lugar à agricultura moderna e competitiva, à pecuária, às florestas plantadas (seringa, café, eucalipto, laranja, teka...) e às cidades. O Brasil é um líder agrícola mundial.
O estudo da Embrapa indica que, apesar do desmatamento dos últimos 30 anos, o Brasil é um dos países que mais mantém sua cobertura florestal. Dos 100% de suas florestas originais, a África mantém hoje 7,8%, a Ásia 5,6%, a América Central 9,7% e a Europa – o pior caso do mundo – apenas 0,3%. Embora deva-se mencionar o esforço de reflorestar para uso turístico e comercial, não é possível ignorar que 99,7% das florestas primárias européias foram substituídas por cidades, cultivos e plantações comerciais.
Com invejáveis 69,4% de suas florestas primitivas, o Brasil tem grande autoridade para tratar desse tema frente às críticas dos campeões do desmatamento mundial, como tem proclamado o Ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes. Há que ter também responsabilidade para reavivar, por meio de políticas e práticas duradouras, a eficácia das medidas históricas de gestão e exploração que garantiram a manutenção das florestas primárias brasileiras.
-
1 Publicado no jornal “O Estado de São Paulo” de 16 de janeiro de 2007.
2 Doutor em ecologia, chefe geral da Embrapa Monitoramento por Satélite (
mir@cnpm.embrapa.br)
/

O que você acabou de ler, nada mais é uma auto-afirmação de que o Brasil foi responsável para com as suas florestas, uma vez que possui uma das maiores reservas florestais do mundo. Sim, isso é verdadeiro, mas ao mesmo tempo, induz a pensar que, de uma forma ou de outra, não há a necessidade de preocupação. É o que insiste veementemente.
Para início de conversa, isso é uma ideia insensata e inadmissível, e que não pode ser aplicada no cenário atual.
Motivos não faltam: o Brasil foi responsável, não está sendo mais; e porque, como o texto deixa claro, o verde é um patrimônio inestimável e que ninguém tem mais (contradizendo a si mesmo). Devemos cuidar dele o quanto antes, pois se não ficarmos de olhos bem abertos, só por um momento, mais cedo ou tarde, algum país fará questão de tomar posse - reivindicá-lo a si mesmo, usando de desculpa o pretexto de "patrimônio universal".
A velha história: "o que é seu, é meu, e o que é meu, é meu!". Típico de oportunista.
Evidências, existem aos montes. Só enxerga quem quer ver.
Espero que tenha aberto os seus olhos, e principalmente, sua consciência.
*
Créditos das imagens: Martin Johnson Heade. Retratam o Brasil.
Pesquisa: pode ser vista no Site da Embrapa.

Aniversário do Hubble!

Hubble
Hubble na atmosferaHubble em órbita
Há 20 anos, pesquisando o Universo
/
Parabéns Hubble - Duas décadas de história e conquistas
/

Nesta data, o Telescópio Espacial Hubble (Hubble Space Telescope), comemora o seu vigésimo aniversário. Suas atividades se deram início no dia 24 de abril de 1990, quando partiu para uma órbita de 589 km sobre a Terra - instalado na nave Discovery.
É fato, a inauguração atrasou em 5 anos, graças ao trágico episódio do Challenger, que culminou na morte dos 7 tripulantes à bordo, que paralizou o programa espacial norte-americano.
Lançado pela NASA (National Aeronautics and Space Administration) e ESA (European Space Agency), foi de muita utilidade, pois:
-
1- serviu para determinar a idade estimada do universo: 13,7 bilhões de anos;
2- serviu para a descoberta de planetas extra-solares...
3- buracos negros...
4- galáxias...
5- nebulosas...
6- elementos...
7- estrelas...
8- elementos;
9- e a visão mais detalhada de vários fatores, etc.
-
Herda o nome de Edwin Powell Hubble -1889/1953-, astrônomo estadunidense, que revolucionou a história da Astronomia, com descobertas valiosíssimas, para o meio científico.
Algumas de suas descobertas [Edwin] (não segue ordem cronológica):
-
1 - Constatou que o universo estava se expandindo.
2 - Descobriu dados inéditos sobre galáxias, e rompeu conceitos então aplicáveis, expressos pela Lei de Hubble-Homanson e a Constante de Hubble.
3 - À partir de tais informações, a Teoria do Big-Bang, se deduziu (foi a base da tão popular teoria sobre a origem do universo).
4 - Concluindo: provou, questionou, mudou os rumos da visão que se tinha sobre o espaço, e deu a civilização humana um salto equivalente ao dado por Galileu Galilei, inventor da luneta - séc. XVII.
-
Este observador atento, ao todo, já registrou 30.000 objetos, e tirou cerca de meio milhão de fotografias. O complexo espacial mede 13,2 metros de comprimento e 4,7 metros de largura e pouco mais de 11 toneladas.
Até agora,
5 reparos necessários foram realizados no Hubble, sendo um, em especial, importante de se destacar: a miopia da lente, que gerou inúmeros prejuízos à comunidade científica, graças à má qualidade de imagens.
Seus dias estão contados: será atraído pela força da gravidade da Terra, até se d
esintegrar ao se chocar com a atmosfera. Um substituto para tal está a caminho: apresento lhes o seu sucessor: James Webb Space Telescope. Tem este nome em honra do 2º administrador da NASA, James Edwin Webb.
-
"Ninguém é substituível - somos insubstituíveis. Porém, somos substituíveis"
/
Hubble SiteNASA - Hubble
Acima, página oficial do Hubble, abaixo, página oficial da NASA, que destaca o aniversário do Hubble
-
Todos os escritórios da NASA, hoje, estão comemorando o evento, e para tanto, imagens inéditas capturadas pela lente do Hubble, estão sendo disponibilizadas via internet, na NASA, e na Página do Hubble. No G1, há um álbum de fotos incrível, que recomendo à todos. Segundo previsões da NASA, deve perdurar por cerca de 25 anos.
/
Goooooooooogle
/
Google - Hubble
Hubble Zoom - Google
O buscador Google, o mais difundido no mundo, não quis ficar de fora deste dia tão especial, e fez questão de marcar presença - literalmente. Mudou o seu logo, que ficou muito mais legal por sinal. Olha só como é que ficou o design, acima.
-
"Dificilmente, algum telescópio será tão incrível quanto ele foi e está sendo."

Earth Day!

A Terra, na verdade, está viva e presente todos os dias.
Não é somente ontem, ou hoje: é para sempre!!!
/
22/04/2010. Este dia do ano é muito especial.: o aniversariante, hoje, é a Terra.!!!
Feliz Dia da Terra :)
/
Primeira Imagem/Foto da Terra1ª Imagem/Fotografia, do nosso Planeta Terra. Vista da Lua.
/
Terra...
O 3º planeta do Sistema Solar, o 5º maior em extensão, e único que se tem notícia, que abriga a vida.
Singular e excepcional - "A Terra é Azul!" [Yuri Gagarin] -, o Planeta Terra, tem o seu valor e merece o devido respeito: verdadeiro milagre das mãos de Deus!!!
Lar, história, um verdadeiro mistério do Universo.
O que faz a Terra ser especial? Talvez a resposta, esteja muito mais perto do que eu ou você imagina: em nosso coração e ser.
Nossa mãe, nossa luz: esperança de dias melhores. O maior dos segredos.
Não consigo falar do Planeta Terra sem me emocionar, minha jornada está contida nele: minhas realizações, meus projetos, minhas lembranças, meus sonhos e desafios, minhas perspectivas, sobre tudo e todos, assim como você também.
Dia 22 é para pensar. Mudar atitudes, opiniões, quebrar barreiras e divergências, unir povos, governos e nações em prol do bem comum: ir além. Ser verdadeiramente humano, em meio aos 6,8 bilhões de pessoas e infinitas populações de seres ao redor do mundo.
O Dia Mundial da Terra, tem como intuito lembrar a todos que "O MUNDO, A NÓS PERTENCE", e que somos responsáveis por ele. Planejar o futuro, VIVENDO O HOJE.
-
"Desejando o impossível, a luta de cada um no dia-a-dia poderá transformar o planeta." [Marcelo Rubens Paiva]
/
Edição 2010:
Este ano, o Dia da Terra está em sua 40ª edição / 40º ano.
O site oficial do evento, é: Earth Day.org

Earth Day: Give Earth a Hand

Dê uma mão para o planeta!

Google "Earth Day"

Logo GoogleGoogle Verde, no Dia da Terra! (▲ANTES)
/
Compare, e aprecie a bela obra de arte.
/
(▼DEPOIS)
Google no Dia da Terra - 2010

/
Veja mais: os logos do Dia da Terra
(exibidos em escala Global - na página inicial do Google específica de cada país).
/
google_earth-day_2001
2001 - 1° da história do Google.

google_earth-day_2002
2002

google_earth-day_2003

2003

google_earth-day_2004
2004

google_earth-day_2005
2005

google_earth-day_2006
2006

google_earth-day_2007
2007

google_earth-day_2008
2008

google_earth-day_2009
2009

2010: No início da postagem!

É interessante citar que desde 1998, mais precisamente no dia 30 de Agosto, se dá a largada do uso de marcas comemorativas - com o logo "Burning Man festival - (Global)".

Off-line :( - 2ª vez!!!

DIÁRIO DO VERDE, NOVAMENTE FICA FORA DO AR
/
Vai entender...
/
Ultimamente está ocorrendo muitas falhas no Blogger. Em menos de 3 semanas, esta já é a 2ª vez que o Diário do Verde sai do ar. Tudo bem que, o tempo que ele ficou inativo hoje, nem se compara com o dia 4 de abril, em que ficou cerca de 2hs fora da web.
Hoje, a turbulência foi fraca, mas não despercebida: durante cerca de 30m [1/2 hora], período que o serviço falhou, você que tentou acessar bem de manhãzinha, não conseguiu retorno.
/
CONFIRA O QUE ACONTECEU:
RELATÓRIO COMPLETO - SERVIÇO HTTP 80

/
Saiu do ar:
06:31:3o
Entrou no ar (online):
07:00:59
/
Agradecimentos: Serviço de Monitoramento Sentinela Web.

S.O.S. Amazônia

S.O.S. Amazônia

A devastação da Amazônia preocupa governos, ONGs e cientistas. Mas será que ainda dá tempo de conter o estrago? Conheça os maiores problemas da floresta e entenda as estratégias de preservação que podem garantir um futuro mais verde
/
André Santoro
Revista Mundo Estranho – 04/2010

/
Ela tem 5,2 milhões de km2 somente no Brasil. Nesse território, caberiam 20 estados de São Paulo. Fora o 1,7 milhão de km2 em países vizinhos... É terra – e árvore, e rio, e bicho – que não acaba mais. Ou, pensando bem, que pode acabar, sim.
Boa parte das matas da região não é virgem há muito tempo, mas a devastação pegou pra valer nas décadas de 1960 e 1970, quando o governo brasileiro inaugurou duas grandes rodovias que cortam a área: a Belém-Brasília e a Transamazônica, que liga a Paraíba ao estado do Amazonas.
Com as estradas, veio o desenvolvimento, mas também a ocupação desordenada, as madeireiras, a apropriação ilegal de terras... Saiba como essas atividades detonam a região e entenda o que os ambientalistas têm tentado fazer para proteger a floresta.
Navegue pelos mapas da Amazônia e entenda as áreas mais ameaçadas dentro da floresta
-

MAPA DA MATA parte 1 / MAPA DA MATA parte 2

/
QUEM AMA PRESERVA
Cuidar da Amazônia não é problema só do governo. Saiba que atitudes você pode tomar para manter a floresta de pé!
Não adianta chorar o leite derramado – nem a floresta devastada. No lugar de apontar culpados, as estratégias de proteção, hoje, miram no cidadão comum. “Além da política, temos de apelar para o poder do mercado”, diz o pesquisador Adalberto Veríssimo, do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia. “É fundamental, por exemplo, inibir o consumo de madeira, carne e grãos que vêm de áreas desmatadas ilegalmente”, afirma Veríssimo.
Algumas empresas brasileiras lançaram selos que garantem a procedência de seus produtos. O argumento econômico também é usado pelo Ibama. “As populações da Amazônia poderão ter grandes benefícios usando bem os recursos naturais sem destruir o maior bioma do planeta”, diz Roberto Messias Franco, presidente do órgão.

*
Fonte: Planeta Sustentável e PENSAR ECO.

Ideias por uma vida melhor

Salvar o Mundo
17 Ideias para você Salvar o Mundo
/
1. Informe-se
Acompanhe as notícias sobre o meio ambiente, atualize-se, estude a fundo os aspectos que mais lhe interessam.
-
2. Aja localmente
Pense a respeito de como colaborar na família, na vizinhança, na escola dos filhos e na comunidade. Participe mais de tudo e difunda suas ideias sobre um mundo melhor.
-
3. Pense localmente
Estabeleça vínculo entre temas locais e globais. Apesar de magnitudes diferentes, os dois universos se correlacionam.
-
4. Some
Antes de pensar em formar uma organização não-governamental, procure uma parecida na qual você possa se engajar.
-
5. Otimismo é fundamental
Envolva-se de maneira criativa e divertida. Se quer atrair outras pessoas, pense em discursos e eventos positivos.
-
6. Seja efetivo
Envolva-se, torne-se ativo, mas não duplique suas obrigações. Trabalhe para ampliar sua efetividade.
-
7. Crie notícia
Identifique temas que possam interessar a muitas pessoas. Então, escreva para jornais, revistas, redes de rádio e TV.
-
8. Planeje sua família
Se a população da Terra, em 2050, ficará em 7,9 ou 10,9 bilhões de pessoas, conforme projeta a ONU, a diferença será de um filho por casal.
-
9. Não polua
Não jogue pilhas e baterias de celular no lixo comum. Mantenha bacias hidrográficas, rios, represas e lagoas livres de lixo ou qualquer tipo de resíduo. Lembre-se: o cano que sai da sua casa provavelmente deságua num rio, numa lagoa ou no mar.
-
10. Preserve a biodiversidade
Espécies animais e vegetais merecem respeito. Plante árvores: elas produzem oxigênio e são abrigos para aves.
-
11. Seja coerente
Economize energia, água, prefira equipamentos que não prejudiquem a camada de ozônio, reutilize materiais, recicle o lixo caseiro, use menos o carro, ande mais a pé, evite produtos de origem animal.
-
12. Passe a sua vida a limpo
Reveja seu estilo de vida. Pense num padrão condizente com o mundo sustentável.
-
13. Boicote
Engaje-se em movimentos de boicote a produtos que não respeitam o meio ambiente. Aliás, nem espere por movimentos: faça isso sempre que cair a ficha.
-
14. Eleja e cobre
Fiscalize o trabalho e a postura dos deputados e senadores ligados à sua comunidade ou cidade. Escreva para eles fazendo sugestões ou cobranças.
-
15. Separe o joio
Nunca na história tivemos acesso a tanta informação - e também a tantas opiniões diferentes. Faça a coisa certa.
-
16. Ensine as crianças
Preparar as novas gerações à luz de princípios ecológicos é a garantia de um mundo mais redondo daqui para frente.
-
17. Acredite no futuro
Estimule ideias inovadoras, invista em grupos não-governamentais, renove sua crença de que tudo vai dar certo. Quanto mais pessoas acreditarem na paz, mas ela será possível.
*
Fonte: Super Especial - Como Salvar a Terra/junho 2001

ISO 14000

ISO 14000 - Gestão ambiental
/


As normas ISO 14000 – Gestão Ambiental, foram inicialmente elaboradas visando o “manejo ambiental”, que significa “o que a organização faz para minimizar os efeitos nocivos ao ambiente causados pelas suas atividades” (ISO, 2000).
Assim sendo, essas normas fomentam a prevenção de processos de contaminações ambientais, uma vez que orientam a organização quanto a sua estrutura, forma de operação e de levantamento, armazenamento, recuperação e disponibilização de dados e resultados (sempre atentando para as necessidades futuras e imediatas de mercado e, consequentemente, a satisfação do cliente), entre outras orientações, inserindo a organização no contexto ambiental.
Tal como as normas ISO 9000, as normas ISO 14000 também facultam a implementação prática de seus critérios. Entretanto, devem refletir o pretendido no contexto de Planificação ambiental, que inclui planos dirigidos a tomadas de decisões que favoreçam a prevenção ou mitigação de impactos ambientais de caráter compartimental e inter-compartimental, tais como, contaminações de solo, água, ar, flora e fauna, além de processos escolhidos como significativos no contexto ambiental.
/
A norma ISO 14001 estabelece o sistema de gestão ambiental da organização e, assim:
/
1. avalia as consequências ambientais das atividades, produtos e serviços da organização;
2. atende a demanda da sociedade;
3. define políticas e objetivos baseados em indicadores ambientais definidos pela organização que podem retratar necessidades desde a redução de emissões de poluentes até a utilização racional dos recursos naturais;
4. implicam na redução de custos, na prestação de serviços e em prevenção;
5. é aplicada às atividades com potencial de efeito no meio ambiente;
6. é aplicável à organização como um todo.
/
Ressalta-se, contudo, que nem as normas ISO 9000 nem aquelas relativas ISO 14000 são padrões de produto. O padrão de manejo do sistema nessas famílias de normas estabelece requerimentos para direcionar a organização para o que ela deva fazer para manejar processos que influenciam a qualidade (ISO 9000) ou processos que influenciam o impacto das atividades da organização no meio ambiente (ISO 14000). A natureza do trabalho desenvolvido na empresa e as suas especificidades em termos de demandas determinam os padrões relevantes do produto que devam ser considerados no contexto das normas ISO (ISO, 2000).
*
Fonte: Embrapa - CNPMA - GOVERNO FEDERAL

Ecosia

Ecosia - Search Engine

Ecosia - Preserve o Planeta - BRASIL :), PESQUISANDO!!!
+ de 60.000.000 de m² protegidos

/
Save Green - Save Planet! (Salve o Verde - Salve o Planeta!)
/

Logo Ecosia

ECOSIA

Link: http://ecosia.org/

-

Quem é que nunca fez, pesquisas na internet, por motores de busca? Muito pouca gente.
Você já pensou na possibilidade de um hábito frequente e necessário, além de ter a utilidade de mostrar os resultados sobre o que quer saber, ajudar as florestas tropicais, lugares onde comprovadamente, mais da metade de todas as espécies se encontram (Floresta Amazônica e outras)?
Imagine só: isto é possível!!! Esta é uma campanha inédita, que envolve WWF, Yahoo e Bing.
Assista o vídeo (VIMEO - VIDEO OFICIAL):


/
Percebeu, sentiu a energia positiva? Eu senti!
Este método de busca é genial - o motor de busca mais "verde" do mundo, e pelo que entendi, além de ajudar as Florestas Tropicais, é uma espécie de contra-ataque ao Google, que ainda deixa a dever na área ambiental. Com isso, a Microsoft, e o Yahoo, deverão ser vistas com outros olhos, sempre à frente pelos internautas, pois se comprometem com o meio ambiente.
É válido ressaltar que, além deste, existem outros motores de busca ambientais, como Eco Search, Ecocho, Forestle, Good Tree, Green Maven, Truevert... e é claro, não posso esquecer o brasileiro ECO4Planet. Mas este, merece destaque: pois está ajudando o Brasil, que vergonhosamente, nem aparece no ranking: quer dizer, os estrangeiros, ajudam, e os próprios brasileiros, não querem nem saber :(
Não espere mais tempo: apoie a causa - divulgue, incentive e, principalmente, USE!!!
Parabéns à Microsoft, Yahoo, e especialmente, ao WWF, que já preserva o nosso mundo há tanto tempo, e sempre busca ajudar mais e melhor.
-
RANKING MUNDIAL (16/04)
/
Alemanha - 34.79%
Suíça - 15.46%
França - 14.58%
Itália - 10.99%
Espanha - 7.09%
Estados Unidos - 4.44%
Outros - 3.44%
Bélgica - 2.55%
Áustria - 2.27%
10º Reino Unido - 1.57%
11º Holanda - 1.48%
12º Canada - 1.34%
TOTAL = 100%
-

Observe as seguintes situações: somente Alemanha e França, juntas, responderam por 50,25% do total de pesquisas (mais da metade). Os 5 primeiros, isoladamente, responderam por 82,91% de todas as pesquisas (4/5 ou + de 2/3). Os 5 últimos responderam somente por 9,21%, menos de 1/10 em relação ao grupo.
Detalhe: cadê o Brasil, beneficiado direto e principal do projeto? Nem aparece. É por estas e outras que, quando penso em nosso país, não sinto orgulho: VERGONHA!

/
OS DADOS
EXCLUSIVO EM PT - EXTRAÍDOS DO SITE OFICIAL (Adaptado)
/
O que faz a ECOSIA?
Ecosia é uma organização independente, site sem fins lucrativos. Pelo menos 80% de sua renda com pesquisas (motor de busca, anúncios), vai para um programa de proteção da floresta tropical executado pelo WWF , que usa esse dinheiro para a proteção sustentável das florestas tropicais.
/
Como a Ecosia gera renda?
Yahoo e Bing não só ajudam a proporcionar excelentes resultados de pesquisa, mas também fornecem os links patrocinados que o sistema precisa para gerar receitas de publicidade. Os links patrocinados são pequenos anúncios de texto relevantes, que são colocados pelas empresas com o objetivo de vender seus produtos e serviços para os usuários do mecanismo de busca. As empresas pagam por cada clique em seus links patrocinados e cada clique nesses anúncios gera alguns centavos de receitas para o motor de busca.
Cerca de 2% das pesquisas em Ecosia levam a um clique em um link patrocinado. Fazendo um cálculo misto de cliques normal e cliques em links patrocinados, Ecosia ganha cerca de 0,13 cêntimos de Euro por pesquisa. Ela doa pelo menos 80% desse rendimento para o WWF. Graças a essas doações, podemos poupar cerca de dois metros quadrados, com todas as pesquisas.
/
Como Ecosia poderá salvar a floresta tropical?
Ecosia não realiza o regime de proteção da própria floresta, em vez disso, doam a um programa de proteção da floresta tropical executado pelo WWF. O projeto atual WWF está localizado no Parque Nacional Juruena na região amazônica do Brasil. Clique aqui para saber mais sobre o projeto de proteção atuais matas.
/
Por que devo usar Ecosia?
A cada ano, uma maior área de floresta maior do que a Inglaterra é queimada ou cortada. Por conseguinte, o desmatamento das florestas tropicais é a mais importante fonte de emissões de CO2 no mundo e cerca de 20% das emissões globais de CO2 são causadas pelo desmatamento da floresta tropical.
Cada pesquisa em Ecosia protege um pedaço de floresta tropical, assim fazendo Ecosia seu motor de busca, você pode realmente ajudar o meio ambiente uma busca de cada vez. Um usuário médio da Internet pode proteger cerca de 2.000 metros quadrados de floresta a cada ano usando Ecosia - o tamanho de um campo de hóquei no gelo.
Ao fazer Ecosia seu motor de busca padrão, você pode transformar o seu web buscas verde, reduzir sua pegada de carbono e fazer uma diferença real para o planeta. Em vez de provocar emissões de CO2 com suas pesquisas, você pode realmente ajudar a evitar a mudança climática porque suas pesquisas vão ajudar a salvar as florestas tropicais ameaçadas.
Ecosia também é a melhor opção se você está preocupado com a privacidade. Algumas empresas de motores de busca guardam suas buscas na web por vários meses e ainda as analisam para criar um perfil de você. Eles às vezes até mesmo vendem essas informações para outras empresas. Ecosia, em contrapartida, exclui todos os dados relacionados ao usuário, num prazo máximo de 48 horas.
/
Como posso fazer de Ecosia meu motor de buscas?
Sempre que você quiser pesquisar com Ecosia, você pode simplesmente ir para a página Ecosia, digite os termos da sua pesquisa e clique no botão de pesquisa.
No entanto, há também uma maneira mais conveniente de usar Ecosia. Basta clicar em "install", link na parte inferior da página inicial Ecosia e a busca Ecosia será adicionada ao seu navegador. Você pode digitar então convenientemente as suas pesquisas na caixa de pesquisa do seu navegador, assim você não precisa visitar a página Ecosia cada vez que você quiser procurar alguma coisa. Depois de ter instalado Ecosia, você também pode ver quanta floresta você já salvou.
/
DIVULGUE
COMO AJUDAR :)
/


1- Conheça o Site Oficial.
2- Instale a Barra de Ferramentas - Pesquisa, e começe já a contabilizar m² de árvores!
3- Publique um artigo em seu website ou blog, sempre lembrando de citar de onde viu primeiro a notícia: aqui, sem dúvida.

4- Siga o Ecosia no Twiiter [@ecosia], ou no Facebook.
5- Insira um banner. Exemplo:



/
Se você tiver alguma dúvida sobre Ecosia, confira a seção FAQ (em inglês).
/
Resumindo - Citação
/
“Graças aos links patrocinados, os motores de busca ganham bilhões todos os anos e o Ecosia acredita que há uma forma mais ‘amiga do ambiente’ de se utilizar estes grandes lucros, pelo que o dinheiro é melhor empregue no combate ao aquecimento global”, explicou, ao Guardian, Christian Kroll, criador deste novo motor de busca “verde”. O porta-voz da WWF assumiu que o Ecosia tem um grande potencial para se tornar numa importante fonte de financiamento para os projetos ambientais desta ONG. (Fonte: Ciência Hoje)

*

Vamos todos juntos, pesquisar com Ecosia, e reflorestar a Floresta Amazônica!!!

Meio Ambiente no Dia a Dia

Dia a DiaPequenas expressões, grandes mudanças
/
Você já fez a sua parte no dia de hoje?
/
Afirmativo ou Negativo? Pense rápido.
Como diria um bom português (Portugal), ora, pois! Ou um gaúcho: bá, tchê! Ou um nordestino: oxente, bichinho!
Formas de se falar, características individuais, nada disso importa: somente a seguinte questão: O que você está fazendo à favor do planeta, no seu cotidiano? Talvez não muita coisa, ou pior: nada.
Mesmo você que contribui, deve estar usando limitadamente o seu potencial. Expandir a capacidade, não é só sonho: é possível. É por isso que irei te ajudar.
Veremos... :)
/
DICAS PRECIOSAS - MEIO AMBIENTE
/
1- Seja Prático - Menos é mais: esta regra, vale para tudo, tudo mesmo.
Opte por produtos ecologicamente corretos: sim, é verdade, tais marcas tem um custo um pouco mais elevado que o normal, mas em compensação, seu custo benefício é muito maior e a qualidade é muito mais interessante. Geralmente são saudáveis, de boa aparência, e tecnologia e design inovador.
/
2- Nem sempre tudo é verdade!
Desconfie sempre de tudo o que você escuta, no grosso popular: muitas das informações, na maioria das vezes, em relação à natureza, são incorretas ou, condensadas, a ponto de emitir dados relevantes. Na dúvida, utilize do bom senso, sem limites, e pesquise em sites, blogs, ou qualquer outra fonte de informação que seja comprovadamente confiável.
/
3- Utilize sempre da famosa frase: "Na natureza, nada se cria, tudo se transforma" [Antoine Lavoisier]
É mais do que comprovado que, quase tudo do que é considerado imprestável, estragado, ou lixo literalmente, tem ainda alguma utilidade. Largue a preguiça, e use e abuse das coletas seletivas, da triagem do lixo, da destinação correta de um material a seu devido ponto de origem. Tudo bem que, nesse caso, a Coleta Seletiva tem o seu papel e obrigação, mas na maioria das prefeituras e bairros, isso é caso raro. Cobre ações e medidas dos governantes, já que eles estão lá a serviço do povo - sua função, e não do próprio bolso (o que infelizmente ocorre no Brasil e em tantos outros países).
/
4- Tecnologia - Pra quê troca-troca?
Parece que agora é moda se ver uma pilha de computadores e seus componentes jogados aos cantos, em qualquer lugar. Um computador velho, continua sendo um computador, e tem utilidade. Ao invés de jogar fora, faça uma doação para alguém ou instituição que necessite. Opte, ao contrário de correr para a loja e comprar um novo produto, melhore o seu computador, apenas trocando alguns elementos. Estará combatendo a poluição e uma nova modalidade de agressão ambiental: o lixo eletrônico.
/
5- A fé move montanhas, e a vontade de cada um
O ideal, e o que nós desejamos, é um mundo mais fraterno e justo, pelo menos, da minha parte, assim espero. Para que isso ocorra, é fundamental a doação de todos para tal transformação. O meio ambiente é um dos modos mais fáceis para que isso aconteça. Lembre-se que queremos e necessitamos de aliados, e não inimigos ou escravos. A vontade para tamanha realização deve vir do nosso coração, portanto, pressionar é algo fora de questão. Mais cedo ou mais tarde, todos virão que Salvar o Planeta Terra, é muito mais importante que dinheiro, maracutaia ou coisa e tal.
/
6- Ser consciente é fundamental
"Falar é fácil, difícil é fazer". Aplique sempre esta regra a tua vida, pois é moleza você dizer ou pré-julgar atitudes, sem antes fazer a sua parte. Você também é responsável por melhores dias.
/
7- Plante Árvores :) - "Se eu soubesse que o mundo acabaria amanhã, ainda hoje plantaria uma árvore." [Martin Luther King]
Não é de uns tempos pra cá que se diz isto: é um conceito universal, e que já existe desde muito tempo. De fato, este é um gesto de muita valia para o verde, e bom para o ser humano.
/
8-
Cuidado com o que diz
Pra dizer, antes de qualquer coisa, de imediato, é preciso saber. Não saia por aí falando qualquer bobeira, principalmente argumentando com "eu acho", "alguém me disse", "deve ser assim". Ter dúvidas é uma coisa, certeza é outra: só se posicione frente aquilo que detém conhecimento. O que não sabe, prefira ser mais cauteloso, o que não significa ficar calado. Neste tipo de situação, é sempre bom se pesquisar (fontes confiáveis) sobre o que ainda não sabemos para, posteriormente, termos a resposta em mãos.
/
9- Economize água e energia
Esta medida, apesar de ser radical, você concorda que ela pesa diretamente não só em seu pensamento, mas sim, no seu orçamento. Água e Luz, são duas contas que, em algum dia do mês, chega a nossa porta, esperando serem quitadas.
Devemos lembrar que a água, em condição apropriada ao uso humano (água doce), é um recurso esgotável, e que representa somente cerca de 2,5% em relação ao total existente, e que menos de 1% se encontra em fácil acesso, sendo motivo de guerra em nações áridas e desprivilegiadas. Quanto à luz, vale lembrar que para se produzi-la, o método convencional é a base de carvão, petróleo e gás, o que polui o nosso ar, e agride a nossa saúde. Sem contar a destruição de áreas, para a instalação de usinas, entre outras coisas. Além de ajudar o ambiente, estará sendo legal com o seu dinheiro.
/
10- Pare e pense de novo
Questione. Analise. Interprete corretamente. Você está fazendo o que deveria, e o que pode fazer, para preservar o que ainda nos resta? Certamente, ainda não. Mas tudo é possível, e recomeçar do zero é importante. Um erro continua sendo um erro, e um acerto, continua sendo um acerto. A questão é: errar, é humano. É claro, tudo tem seus limites: errar uma vez, até vai, agora duas, três... aí, já é proposital. Reflita antes de tomar qualquer decisão. Uma ação provoca sempre uma reação. Siga o caminho da verdade: ele te levará à sabedoria.
-
Estas, são as minhas dicas, de como melhorar o nosso dia, ajudando o meio-ambiente.
Gostou delas? Então, não hesite, e deixe o seu comentário: aguardo a sua opinião!!!

*
Salvar o Planeta: o segredo está nas mãos de cada um!

Carta do Chefe Seattle - 1854

Carta do Chefe Seattle
/

“O que ocorrer com a terra, recairá sobre os filhos da terra. Há uma ligação em tudo.”
/
No ano de 1854, Franklin Pierce, então presidente dos Estados Unidos da América (USA/EUA), enviou uma carta ao cacique Noah Sealth (Escrita: Ts'ial-la-kum, Sealth, Seathle, Seathl, See-ahth), que foi líder das tribos Suquamish e Duwamish, atual Cidade de Washington (D.C.), na qual demonstrava interesse por suas terras, onde viviam os índios. Queria propor um acordo bem negativo, por sinal. Seattle, cidade do Condado de King, em Washington, herdou este nome em honra do Cacique, que ficou martirizado como um grande exemplo de amor e respeito ao meio ambiente.
/
A CARTA
/

No ano de 1854, o presidente dos Estados Unidos fez a uma tribo indígena a proposta de comprar grande parte de suas terras, oferecendo, em contrapartida, a concessão de uma outra "reserva". O texto da resposta do Chefe Seatlle, tem sido considerado, através dos tempos, um dos mais belos e profundos pronunciamentos já feitos a respeito da defesa do meio ambiente.
-
Como é que se pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? Essa ideia nos parece estranha. Se não possuímos o frescor do ar e o brilho da água, como é possível comprá-los?
Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia das praias, a penumbra na floresta densa, cada clareira e inseto a zumbir são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho.
Os mortos do homem branco esquecem sua terra de origem quando vão caminhar entre as estrelas. Nossos mortos jamais esquecem esta bela terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da terra e ela faz parte de nós. As flores perfumadas são nossas irmãs; o cervo, o cavalo, a grande águia, são nossos irmãos. Os picos rochosos, os sulcos úmidos nas campinas, o calor do corpo do potro, e o homem - todos pertencem à mesma família.
Portanto, quando o Grande Chefe em Washington manda dizer que deseja comprar nossa terra, pede muito de nós.
O Grande Chefe diz que nos reservará um lugar onde possamos viver satisfeitos. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Portanto, nós vamos considerar sua oferta de comprar nossa terra. Mas isso não será fácil. Esta terra é sagrada para nós.
Essa água brilhante que escorre nos riachos e rios não é apenas água, mas o sangue de nossos antepassados. Se lhes vendermos a terra, vocês devem lembrar-se de que ela é sagrada, e devem ensinar as suas crianças que ela é sagrada e que cada reflexo nas águas límpidas dos lagos fala de acontecimentos e lembranças da vida do meu povo. O murmúrio das águas é a voz de meus ancestrais.
Os rios são nossos irmãos, saciam nossa sede. Os rios carregam nossas canoas e alimentam nossas crianças. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem lembrar e ensinar a seus filhos que os rios são nossos irmãos e seus também. E, portanto, vocês devem dar aos rios a bondade que dedicariam a qualquer irmão.
Sabemos que o homem branco não compreende nossos costumes. Uma porção da terra, para ele, tem o mesmo significado que qualquer outra, pois é um forasteiro que vem à noite e extrai da terra aquilo de que necessita. A terra não é sua irmã, mas sua inimiga, e quando ele a conquista, prossegue seu caminho. Deixa para trás os túmulos de seus antepassados e não se incomoda. Rapta da terra aquilo que seria de seus filhos e não se importa. A sepultura de seu pai e os direitos de seus filhos são esquecidos. Trata sua mãe, a terra, e seu irmão, o céu, como coisas que possam ser compradas, saqueadas, vendidas como carneiros ou enfeites coloridos. Seu apetite devorará a terra, deixando somente um deserto.
Eu não sei, nossos costumes são diferentes dos seus. A visão de suas cidades fere os olhos do homem vermelho. Talvez seja porque o homem vermelho é um selvagem e não compreenda.
Não há um lugar quieto nas cidades do homem branco. Nenhum lugar onde se possa ouvir o desabrochar de folhas na primavera ou o bater das asas de um inseto. Mas talvez seja porque eu sou um selvagem e não compreendo. O ruído parece somente insultar os ouvidos.
E o que resta da vida se um homem não pode ouvir o choro solitário de uma ave ou o debate dos sapos ao redor de uma lagoa, à noite? Eu sou um homem vermelho e não compreendo. O índio prefere o suave murmúrio do vento encrespando a face do lago, e o próprio vento, limpo por uma chuva diurna ou perfumado pelos pinheiros.
O ar é precioso para o homem vermelho, pois todas as coisas compartilham o mesmo sopro - o animal, a árvore, o homem, todos compartilham o mesmo sopro. Parece que o homem branco não sente o ar que respira. Como um homem agonizante há vários dias, é insensível ao mau cheiro. Mas se vendermos nossa terra ao homem branco, ele deve lembrar que o ar é precioso para nós, que o ar compartilha seu espírito com toda a vida que mantém. O vento que deu a nosso avô seu primeiro inspirar também recebe seu último suspiro. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem mantê-la intacta e sagrada, como um lugar onde até mesmo o homem branco possa ir saborear o vento açucarado pelas flores dos prados.
Portanto, vamos meditar sobre sua oferta de comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, imporei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como seus irmãos.
Sou um selvagem e não compreendo qualquer outra forma de agir.
Vi um milhar de búfalos apodrecendo na planície, abandonados pelo homem branco que os alvejou de um trem ao passar. Eu sou um selvagem e não compreendo como é que o fumegante cavalo de ferro pode ser mais importante que o búfalo, que sacrificamos somente para permanecer vivos.
O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo.
Vocês devem ensinar às suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avós. Para que respeitem a terra, digam a seus filhos que ela foi enriquecida com as vidas de nosso povo. Ensinem as suas crianças o que ensinamos as nossas que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmos.
Isto sabemos: a terra não pertence ao homem; o homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo.
O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra. O homem não tramou o tecido da vida; ele é simplesmente um de seus fios. Tudo o que fizer ao tecido, fará a si mesmo.
Mesmo o homem branco, cujo Deus caminha e fala com ele de amigo para amigo, não pode estar isento do destino comum. É possível que sejamos irmãos, apesar de tudo. Veremos. De uma coisa estamos certos - e o homem branco poderá vir a descobrir um dia: nosso Deus é o mesmo Deus. Vocês podem pensar que O possuem, como desejam possuir nossa terra; mas não é possível. Ele é o Deus do homem, e Sua compaixão é igual para o homem vermelho e para o homem branco. A terra lhe é preciosa, e ferí-la é desprezar seu criador. Os brancos também passarão; talvez mais cedo que todas as outras tribos. Contaminem suas camas, e uma noite serão sufocados pelos próprios dejetos.
Mas quando de sua desaparição, vocês brilharão intensamente, iluminados pela força do Deus que os trouxe a esta terra e por alguma razão especial lhes deu o domínio sobre a terra e sobre o homem vermelho. Esse destino é um mistério para nós, pois não compreendemos que todos os búfalos sejam exterminados, os cavalos bravios sejam todos domados, os recantos secretos da floresta densa impregnadas do cheiro de muitos homens, e a visão dos morros obstruída por fios que falam.
Onde está o arvoredo? Desapareceu.
Onde está a águia? Desapareceu.
É o final da vida e o início da sobrevivência.

Geleira Eyjafjallajokull em estado de atenção

Depois de quase 200 anos, vulcão subterrâneo entra em erupção na Islândia
/

Fonte: Globo.com

The Secret - Planet Earth - Our Home

Planeta Terra - O Segredo!!!

Run 4 Water

Run For Water - LIVE EARTH


Você é indispensável para o sucesso do evento: cada passo e movimento, faz a diferença!
Para participar, e para maiores informações, acesse o site: http://www.blogger.com/www.run4water.com.br

Código Florestal - Deixem em paz!

Greenpeace ataca novamente - e desta vez, a coisa é mais séria: e é no Brasil
/
A "Novela do Código Florestal" ainda não acabou. Se depender dos devastadores e o governo, ele vai ser mudado, para benefício dos mesmos e ruína do verde
/
Não é de hoje que o Código Florestal é tema de debate. Essa terrível dor de cabeça começou ano passado, mais precisamente na época em que o Diário do Verde ainda estava nascendo: Fevereiro de 2009. A MP 458, uma aliada a destruição da Floresta Amazônica, apesar de intensos debates e protestos da quase totalidade da população brasileira, que É CONTRA O DESMATAMENTO, ao contrário do governo (quem é a favor de uma lei repugnante e malígna como esta, só pode ser incompetente mesmo), foi sancionada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Lula - PT).
Só que, uma MEDIDA PROVISÓRIA - MP -, como o próprio nome já diz, é algo temporário. Tudo ainda indica que poderá virar LEI, e aí é que a coisa fica delicada. Talvez, uma possível mudança, que o Deputado Federal Aldo Rebelo - do PCdoB de SP, queira propor no Código Florestal, possa ter este fim. Como cidadãos e pessoas "conscientes", temos que impedir tal absurdo.
O Greenpeace Brasil, mais uma vez, denuncia isto que, a meu ver, e aos olhos dos ambientalistas, é um atentado contra a própria Constituição, e diretamente afetados à ela.
Em anexo, segue o e-mail enviado pelo Greenpeace - CYBERATIVISMO, que explicita detalhadamente o que o Senhor Aldo Rebelo, deseja por em prática.
-
ASSINE A PETIÇÃO, E VAMOS JUNTOS IMPEDIR ESTE GRANDE HORROR!

/
E-mail (Mensagem na íntegra)
/
De: Rafael Cruz (cyberativismo@br.greenpeace.org)
Enviada: domingo, 11 de abril de 2010 20:02:09
Para: gabrielzinho12@hotmail.com


Urgente - Aldo Rebelo, deixe as florestas em paz
/
Mais uma vez, o Código Florestal, corpo de leis que protege as florestas brasileiras desde 1934, está ameaçado.
Assine aqui a petição para não permitir que a bancada da motosserra desfigure nosso Código Florestal.
O deputado Aldo Rebelo irá apresentar em breve um documento com as propostas de alteração dessa lei. E tudo indica que elas vão anistiar desmatadores e flexibilizar a proteção de nossas matas.
Proteste contra mais essa tentativa de acabar com as florestas no Brasil.
Há mais de dez anos, representantes da bancada ruralista deram partida numa ofensiva para mudar o Código Florestal em seu próprio benefício. A preservação das florestas é fundamental não só para a manutenção da biodiversidade, mas para equilibrar o clima no Brasil e no resto do planeta. Diante das chuvas torrenciais que provocaram deslizamentos e mortes no Rio de Janeiro, e que tendem a se tornar cada vez mais frequentes, a tarefa de resguardar o que resta de nossas matas é cada vez mais urgente.
Aldo Rebelo já deu indicações que está ao lado dos ruralistas que querem cada vez mais empurrar a agricultura e a pecuária para dentro da Amazônia e para o que sobrou de vegetação nativa em outros biomas brasileiros.
Mande um e-mail para o Aldo Rebelo dizendo que a questão é relevante demais para ser decidida apenas por meia dúzia de deputados em um ano de eleições. O assunto precisa ser debatido por todos os brasileiros e, portanto, o mínimo que se espera de nossos representantes no Congresso é que, ao invés de mexerem em legislação tão fundamental no fim de seus mandatos, tenham a coragem de levar o assunto para a campanha eleitoral.
Ajude a impedir que as nossas florestas continuem a ser devastadas. Assine aqui.
-

Rafael Cruz
Coordenador da campanha de código florestal
Greenpeace

© Direitos reservados à Diário do Verde | Desenvolvido por Crie Web | Licença: CC 3.0 Internacional/Brasil Subir